Aluguel de quarto em Genebra- DICAS IMPORTANTES

Bom, pessoal, não dei notícias antes porque fui vítima de um anúncio falso de aluguel de quarto [e quase fui vítima uma segunda vez, antes dessa] e fiquei morando provisoriamente no albergue. Ontem à tarde, vim para a casa de uma brasileira, Marina, que vive na Suíça há mais de 20 anos e é amiga de uma prima da minha mãe. Fui muito bem acolhida por ela e sua família! Hoje, fui prestar queixa na polícia e fiquei impressionada com a educação e prestatividade dos policiais, que imprimiram todos os meus documentos, ouviram minha história e registraram minha queixa com muita atenção. Confesso que me assustei, pois encontrei o posto policial vazio, contei com a paciência dos policiais para me compreender em francês e não fui encaminhada para 500 setores diferentes (como ocorreu no Brasil quando fui prestar queixa contra agressão -que é o assunto que trataria no post sobre o feminismo, mas fica pra outro post).

Ficam, então, dicas para quem for alugar um quarto em Genebra (ou outro país) pela internet:

1- Sempre peça um número de telefone local, pois, segundo o policial, a grande maioria dos anúncios falsos são postados por africanos que roubam passaportes de europeus. Não sei se isso é verdade, mas dificilmente a pessoa será do país de procedência do passaporte utilizado na transação.  Não caia no conto do vigário de que a pessoa está de férias ou está trabalhando em outro país, pois se o dinheiro for enviado para um país que não seja o que voc~e irá morar, fica muito mais difícil recuperar o dinheiro.

2- Nunca transfira dinheiro pela Western Union, pois é impossível rastrear a pessoa depois, uma vez que, para transferir o dinheiro pela WU é necessário que sejam fornecidos apenas nome e endereço do titular do passaporte e, pelo visto, não é necessário mostrar nenhum comprovante de residência para retirar o dinheiro.

3- Se for transferir o dinheiro para uma conta bancária, exija sempre que ela seja em nome do titular do contrato do apartamento, que deve ser a mesma pessoa com quem você mantém contato, pois assim fica fácil comprovar para quem o dinheiro foi transferido e se a pessoa existe de fato.

4- Exija sempre o contrato de locação assinado e enviado pelo correio. Não assine o contrato antes de recebê-lo assinado, mesmo se a pessoa insistir muito. É melhor receber e enviar o contrato via SEDEX do que enviar sua cópia de passaporte e sua assinatura digitalizada, pois o ladrão pode usar seus dados para roubar outra pessoa.

5- Exija que a pessoa envie uma cópia do documento de identificação e confira se os dados do passaporte batem com os dados que constam no contrato [foi assim que descobri a primeira fraude].

6- Confira o endereço no Google Maps ou peça a alguém da cidade para conferir pessoalmente se o endereço existe. Não caia no conto do vigário de que o Google Maps não identifica o endereço, pois as ruas aqui da Europa costumam ser muito bem mapeadas e têm até foto.

CUIDADO! O ladrão se mostrará, em geral, uma pessoa super amigável e fará de tudo para demonstrar intimidade e confiança. Não confie numa pessoa “gente fina” e não ceda à pressão do “resolva logo porque tem gente na fila”. Genebra é uma cidade lotada, mas há, sim, quartos. Já encontrei um monte de anúncios de quartos no site da universidade, nos petites annonces e no anabis, sites locais e mais confiáveis porque fornecem sempre o número de telefone de quem está alugando, aí basta telefonar.

As dicas não estão numa ordem muito lógica, mas se você segui-las (não necessariamente na ordem), terá bem menos chance de perder dinheiro…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: