Archive for setembro, 2010

Gente folgada

Eu odeio muito gente folgada, sério mesmo. Um dos filhos da dona da casa onde moro voltou do internato pra casa. Ele não tem um pingo de bom senso sequer, sério mesmo.

Ele fuma, ouve som alto até tarde e acorda às 6h da manhã, com o rádio-relógio, pra ir pra aula, mas continua ouvindo a música com a qual desperta. Adivinha onde fica o meu quarto? Bem ao lado do dele, é claro. Daí tô um bagaço, porque tem 2 noites que eu basicamente n durmo.

Hoje descobri que tem um quarto no porão e estou considerando seriamente a possibilidade de me mudar pra ele, apesar de ser mais úmido e frio que o meu atual quarto. Mas, sinceramente, não é legal acordar devido à falta de bom senso alheia. Menos legal ainda é ouvir as brigas diárias dos dois.

Primeiro, pensei na possibilidade de conversar com ele e tentar estabelecer regras. Mas uma das coisas mais importantes que aprendi ultimamente, foi a conversar apenas com quem pode minimamente me ouvir. Porque tipo: eu tentaria estabelecer regras, ele não obedeceria, eu me estressaria, brigaria com ele e ele continuaria lá, ouvindo “I gotta feeling” no último volume 15 vezes (ah, sim, descobri o verdadeiro sentido de “cultura de massa” quando ouvi as músicas dele, que são exatamente as mesmas que a maioria dos meus alunos escutava).

Vocês devem estar pensando: “Ai, lá vem a Maíra com o seu radicalismo!” Mas sabe porque tenho quase certeza absoluta do que digo? Porque a primeira regra estabelecida foi: fumar apenas fora da casa. Ontem à note, o que eu encontro logo que subo pro sótão? O que encontro no baheiro? O que  encontro no chão do quarto dele? ADIVNHA! Ontem cheguei aqui e tava a dona da casa com a maior cara de choro porque o fdp do menino, no primeiro dia de aula fora do internato, não tinha chegado em casa até 8 da noite (ele sai às 5). Deu pra sacar cumé q ele é? Daí vou propor de dormir no sótão.  Se a dona precisar do quarto algum dia, eu durmo no “meu”. Tomara que ela aceite…

Mas fico pensando: o que faz com que uma pessoa simplesmente ignore a existência de todas as demais? Porque ele não faz as coisas “pra aparecer”, pra encher o saco ou nada disso: ele simplesmente faz o que lhe dá vontade, não importa o quanto isso incomode ou chateie o outro, pois o outro simplesmente não existe. E, se chega a existir, pouco importa. Acho que mais do que odiar muito gente folgada, odeio mais ainda gente egoísta.

Anúncios

Deixe um comentário

Descobertas femininas

Estou passeando em Lisboa nesta semana. Estava me sentindo meio insegura e achei que um pouco de português e de amigos queridos me faria bem. Estando aqui, pude comprovar alguns detalhes que já havia notado na Suíça e que dizem respeito aos massacrantes padrões de beleza a que somos submetidas no Brasil e também a como a cabeça dos homens funciona na Europa. Seguem algumas observações, todas carregadas de juízo de valor brasileiro, vale lembrar:

1- Fui ao banheiro das mulheres no shopping e fiquei  chocada: não é lotado de mulher no espelho
2- Todo mundo assume o cabelo que tem. Você não sai na rua e vê simplesme nte um monte de cabelo alisado e quase sempre loiro. As mulheres não ficam passando a mão no cabelo 24h por dia.
3- Não tem mulher no ônibus olhando desesperadamante o batom no espelinho da bolsa.
4- Saí com um vestido comprido e um babtonzinho e fui olhada pelos homens com interesse e pelas portuguesas com desprezo.
Me sinto livre aqui: livre dos padrões massacrantes que o Brasil nos impõe.
Estou tendo um affair com um belga tudo de bom,  que fala português superbem. Até então, pude comprovar o seguinte:
1- Homem aqui é outro departamento. São discretos e não querem te comer a qualquer custo na. Parece que as coisas acontecem mais naturalmente, sabe?
2- Outra coisa também: não tem nada dessa galinhagem do Brasil. Os caras aqui não têm essa cultura PODRE de sair pegando todo mundo… O belga, por exemplo, teve duas namoradas na vida e, segundo o marido da minha amiga (que contou pra ela e não pra mim hehehe), só transou uma vez. E ele é um cara bonito, interessante, estudado, essas coisas. Ele é tão ingênuo e verdadeiro, que dá até um pouco de dó…
3- O raciocínio dele não faz curva.  Hoje, por exemplo, ele vai a uma festa, mas não quer me levar. Ele disse o seguinte: “Tenho uma festa de despedida de uma amiga para ir amanhã. Ela não sabe que estamos juntos e eu prefiro esperar mais um pouco”. Fim. Simples assim. Sem mentiras, sem subterfúgios, sem combinar, desmarcar (mas não avisar que desmarcou) e depois simplesmente me deixar plantada e não atender o celular.
4- No nosso encontro, ele se atrasou. No horário combinado, ele me ligou e avisou. E foi um atraso de 5 minutos.
5- Ele não reparou uma só vez a minha unha, o meu cabelo, a minha roupa ou a minha bunda. Ele estava muito mais interessado no que eu tinha a DIZER!

Comments (7)

Pedaços do cotidiano

Oi, pessoas! Sumi, né? Tava finalizando um trabalho de revisao do Brasil (NINGUÉM MERECE!!!!!) e isso me ocupou três dias inteiros.

Mas vamos às novidades: abri minha conta no correio (pq é mais barato do que abrir num banco comum) e agora vocês já podem me mandar dinheiro!! (Heheheh)

Já me iniciei na orgia dos chocolates: começou anteontem (e não parou mais), quando fui ao supermercado com o Chirstian (marido da Marina, a brasileira que me hospeda aqui). Comprei uma barrinha dessas comuns de supermercado mesmo e… devorei o troço todo! Eu, que nunca aguento comer um barra inteira de chocolate, devorei uma em questão de minutos! À noite, experimentei o melhor chocolate de todos os tempos ever: o Deep Dark Paradise (o nome é bem sugestivo, não?), feito artesanalmente.

Já me reuní duas vezes com meu orientador, que é o cara mais simpático do mundo e parece um Beatle (além de tudo, ele tem uma banda, olha só). Ele me apresentou o Goldman, o cara que desenvolveu o Prosograma, o software de análise que usarei para analisar o meu corpus. Ele se interessou pela minha pesquisa (quem diria!) e já foi logo perguntando: “Qual é o plano de batalha para esta senhorita [não sei um jeito melhor de traduzir ‘madmoiselle’]?’ Pô, empolguei!!!! Ainda saí de lá com um resumo de 15 linhas ,que fiz pra um artigo, todo comentado e com vários textos salvos no meu HD externo! Já vi que minha pesquisa vai render aqui!

Outra orgia em que me iniciei: a dos livros e CD’s. Nada na Suíça é muito barato, mas os livros têm preço razoável. Os CD’s têm preços inacreditáveis!!! Comprei DOIS CD’s do Bob , ‘Highway 61 Revisited’ e o recente ‘Tell Tale Signs’ por incríveis 9,90 francos cada um (no Brasil custa tipo uns 60 reais cada um), dá pra acreditar??? Ainda tem mais dois CD’s dos anos 80 dele lá pelo mesmo preço, mas vou pensar ainda se compro (pq não sou muito fã da fase ‘anos 80’ do Bob não…). Comprei o ‘New York Tales’ do Paul Auster (que já queria há uma década) por 15 fancos e aproveitei pra comprar presentes pro pessoal da casa (ainda mais que 6a é aniversário da Marina…).

Hoje eu devo me mudar para a minha “casa definitiva” (do jeito que eu dou sorte com casas e pessoas pra dividir casas, nunca se sabe, né? Por isso as aspas…): é uma casa enorme, com piscina e tudo, há 10 min à pé da Universidade (mas nem me assusto: tudo aqui é perto e o sistema de transporte é perfeito! Até minha vó, que não fala língua nenhuma e tem 72 anos, consegue andar de ônibus aqui). Consegui um preço legal no quarto, se comparado aos preços daqui: 550 francos (quase 1/3 da minha bolsa). A dona da casa é bem divertida e fala MUUUUUUUUUUUUITO e muuuuuuuuuuuuito rápido (vai ser bom pra treinar o francês, hahaha). Ela tem dois filhos adolescentes, mas eles ficam no internato durante a semana (graças… :p) e só ficam em casa no fim de semana.

Bom, hoje é feriado aqui e eu me autodecretei feriado tb! Devo criar um flickr ou coisa parecida hoje ainda, aí faço um update no post e deixo o link aqui pra vocês.

Torçam aí para que tudo dê certo!!!

Deixe um comentário

Aluguel de quarto em Genebra- DICAS IMPORTANTES

Bom, pessoal, não dei notícias antes porque fui vítima de um anúncio falso de aluguel de quarto [e quase fui vítima uma segunda vez, antes dessa] e fiquei morando provisoriamente no albergue. Ontem à tarde, vim para a casa de uma brasileira, Marina, que vive na Suíça há mais de 20 anos e é amiga de uma prima da minha mãe. Fui muito bem acolhida por ela e sua família! Hoje, fui prestar queixa na polícia e fiquei impressionada com a educação e prestatividade dos policiais, que imprimiram todos os meus documentos, ouviram minha história e registraram minha queixa com muita atenção. Confesso que me assustei, pois encontrei o posto policial vazio, contei com a paciência dos policiais para me compreender em francês e não fui encaminhada para 500 setores diferentes (como ocorreu no Brasil quando fui prestar queixa contra agressão -que é o assunto que trataria no post sobre o feminismo, mas fica pra outro post).

Ficam, então, dicas para quem for alugar um quarto em Genebra (ou outro país) pela internet:

1- Sempre peça um número de telefone local, pois, segundo o policial, a grande maioria dos anúncios falsos são postados por africanos que roubam passaportes de europeus. Não sei se isso é verdade, mas dificilmente a pessoa será do país de procedência do passaporte utilizado na transação.  Não caia no conto do vigário de que a pessoa está de férias ou está trabalhando em outro país, pois se o dinheiro for enviado para um país que não seja o que voc~e irá morar, fica muito mais difícil recuperar o dinheiro.

2- Nunca transfira dinheiro pela Western Union, pois é impossível rastrear a pessoa depois, uma vez que, para transferir o dinheiro pela WU é necessário que sejam fornecidos apenas nome e endereço do titular do passaporte e, pelo visto, não é necessário mostrar nenhum comprovante de residência para retirar o dinheiro.

3- Se for transferir o dinheiro para uma conta bancária, exija sempre que ela seja em nome do titular do contrato do apartamento, que deve ser a mesma pessoa com quem você mantém contato, pois assim fica fácil comprovar para quem o dinheiro foi transferido e se a pessoa existe de fato.

4- Exija sempre o contrato de locação assinado e enviado pelo correio. Não assine o contrato antes de recebê-lo assinado, mesmo se a pessoa insistir muito. É melhor receber e enviar o contrato via SEDEX do que enviar sua cópia de passaporte e sua assinatura digitalizada, pois o ladrão pode usar seus dados para roubar outra pessoa.

5- Exija que a pessoa envie uma cópia do documento de identificação e confira se os dados do passaporte batem com os dados que constam no contrato [foi assim que descobri a primeira fraude].

6- Confira o endereço no Google Maps ou peça a alguém da cidade para conferir pessoalmente se o endereço existe. Não caia no conto do vigário de que o Google Maps não identifica o endereço, pois as ruas aqui da Europa costumam ser muito bem mapeadas e têm até foto.

CUIDADO! O ladrão se mostrará, em geral, uma pessoa super amigável e fará de tudo para demonstrar intimidade e confiança. Não confie numa pessoa “gente fina” e não ceda à pressão do “resolva logo porque tem gente na fila”. Genebra é uma cidade lotada, mas há, sim, quartos. Já encontrei um monte de anúncios de quartos no site da universidade, nos petites annonces e no anabis, sites locais e mais confiáveis porque fornecem sempre o número de telefone de quem está alugando, aí basta telefonar.

As dicas não estão numa ordem muito lógica, mas se você segui-las (não necessariamente na ordem), terá bem menos chance de perder dinheiro…

Deixe um comentário