Acordou com a janela batendo por conta do vento. O céu vermelho relampejava e anunciava a tempestade. Saiu correndo em meio às gotas grossas daquela chuva gelada. Ela sentia os cabelos da nuca se arrepiarem. De repente, esqueceu-se para onde estava indo. Era aquele vazio característico que batia sempre que tomava uma decisão desgastante. A lenta decepção que se arrastou como uma lesma foi, na verdade, uma bola de neve que crescia aos poucos, até se tornar um insuportável nó na garganta. E ela, então, só conseguiu dizer: “Acabou”. Então, foi como se acordasse vinte anos depois: tudo doía; doiam-lhe os ossos, os olhos, o peito e as justificativas que reverberavam numa voz fraca, já desgastada. O amor havia envelhecido…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: